Menu fechado

Transição capilar: como fazer e quanto tempo dura

Transição capilar: como fazer e quanto tempo dura

O que é transição capilar?

A transição capilar consiste em deixar o cabelo crescer naturalmente após um período de alisamento contínuo. Ela vem ganhando força desde que a luta contra os padrões de beleza começou a crescer em todo o mundo.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Por não quererem mais utilizar química em seus cabelos, muitas mulheres, principalmente, optam passar pelo processo de transição. O nome “processo” não vem à toa – o ato de entrar em transição é também um processo de autoconhecimento, aceitação e aprendizado.

Algumas celebridades já decidiram entrar em transição capilar. A atriz e apresentadora Maisa, por exemplo, divulgou recentemente em uma rede social algumas fotos de seu cabelo voltando ao estado natural.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Foto: Twitter
Foto: Twitter

Como começar a transição capilar?

A única coisa necessária para entrar em transição é a vontade. Se é o seu desejo voltar a ter seus cabelos naturais, o processo já está meio caminho andado. Veja as dicas de como começar a transição capilar:

  • Fim das químicas: Depois da grande decisão, o ideal é que se pare de aplicar qualquer produto que altere o formato dos fios, e isso inclui: escova progressiva, definitiva, cremes relaxantes, e henê.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  • Mantenha a hidratação em dia: Cuidados como a hidratação, nutrição e restauração devem ser feitos sempre, além de manter uma dieta balanceada e rica em nutrientes.
  • Atente-se ao uso de produtos térmicos: a chapinha e o secador podem prejudicar o cabelo que está nascendo.
  • Cuidado na hora de desembaraçar: A mistura de duas texturas pode dificultar um pouco na hora de desembaraçar o cabelo. É importante ter paciência e cuidado nessa parte, penteando de forma delicada, evitando que o cabelo se quebre. Para facilitar o processo, o ideal é que se divida o cabelo em quatro partes.
  • E na hora de pentear: Penteie os cabelos apenas quando molhado e com o auxílio de um creme. Utilize pente com dentes largos, que evitam a quebra e facilitam na hora de desembaraçar. Comece sempre a pentear as pontas, subindo gentilmente até todo o comprimento do fio.

Pode fazer chapinha durante a transição capilar?

A prática de alisar com chapinha e secador não é proibida durante a transição, mas é preciso tomar alguns cuidados para não prejudicar o novo cabelo que está nascendo.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Quando utilizar meios térmicos, lembre-se sempre de aplicar um protetor térmico no fio. Tente não repetir o movimento com a chapinha mais de três vezes na mesma mecha de cabelo, evitando que os fios se queimem.

“Em muitos casos, é somente com chapinha que algumas mulheres conseguem deixar a química, então não há como ser impositiva. A transição é pra ser leve, então cada um deve fazer como se sentir feliz, com ou sem chapinha”, conta Jéssica Dantas, dona do canal Fala Dantas.

Quanto tempo dura a transição capilar?

Quem está deixando a química pode ficar ansioso para que os cabelos naturais cresçam rápido. No entanto, é preciso estar atenta durante essa fase para que não se caia em propagandas enganosas para acelerar o crescimento dos fios.

O médico dermatologista e tricologista Felipe Chediek explica:

“O tempo de crescimento do fio é determinado geneticamente. Vários fatores podem influenciar na velocidade de crescimento dos cabelos, como a idade, característica dos fios, químicas realizadas e condição nutricional da pessoa”, explica ele.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Segundo ele, nas mulheres, a tendência é o crescimento ser um pouco mais rápido, mas sem ultrapassar 1,2 centímetro ao mês.

O passo mais difícil durante a transição é a paciência. O cabelo não cresce de um dia para o outro, e alguns formatos de fio podem demorar um pouco mais para demonstrar comprimento. Os tipo 2 atingem comprimento mais rápido do que os 3 e 4, por exemplo. Entenda qual é o seu tipo de cabelo:

O que é o big chop?

Também chamado de BC, o termo em inglês significa o “grande corte”. O nome foi dado para representar o ato de cortar toda parte que contém química dos cabelos. Ao realizar o big chop, a pessoa finalmente fica com a sua textura natural dos fios.

O BC pode ser feito a qualquer momento. Algumas pessoas cortam os cabelos após 1 ano em transição, já outras raspam os fios ainda curtos, o que ajuda a não lidar com duas texturas ao mesmo tempo. O importante é que o big chop seja feito quando você se sentir preparada, não importa o tempo que leve para isso.

Como fica o cabelo após a transição capilar?

Muitas pessoas acham que não conseguirão passar pela transição, afirmando que seu cabelo não voltará a ser como antes. No entanto, isso não é verdade.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

“A raiz com o tempo vai crescendo com o formato natural. Fazer sucessivas progressivas não altera o DNA do fio, pois sempre estará nascendo um novo isento de química e com o formato que a genética de cada um determina”, conta Felipe Chediek.

Técnicas para facilitar a transição capilar

Um dos incômodos durante a transição capilar é a diferença entre o formato do cabelo ainda alisado e do natural que cresce. Algumas técnicas de finalização e texturização ajudam nesse processo. Entre eles, estão bigudinho, coquinhos e fitagem.

“Em alguns casos se consegue formar cachos na parte alisada do cabelo, mas é apenas uma texturização, não retorna os cachos naturais, por isso é necessário fazer o big chop [corte] para retirar a parte alisada”, explica Jéssica Dantas.

Experimente usar gel e gelatina nos fios que ainda contém progressiva, amassando bem o cabelo, estimulando a formação dos cachos. Coquinhos por todo o cabelo também são uma outra opção para tentar igualar as duas texturas.

Após aplicar o produto, faça diversos coques por toda a cabeça, soltando apenas após no mínimo 6 horas, para que o formato pegue de maneira mais firme.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Produtos para transição capilar

Alguns cremes são feitos especificamente para pessoas em transição capilar. Quanto mais firme a consistência do produto, maior a possibilidade de definição dos fios.

Mas, lembre-se: seu cabelo com química não irá cachear da mesma forma que a parte natural que está nascendo, então não se preocupe se o formato não te agradar tanto.

Penteados também são uma excelente forma de encarar a transição. Tranças, coques, lenços e turbantes podem ajudar a manter o estilo durante essa fase. Aposte em estilos diferentes que irão ajudar a disfarçar as duas texturas.

Como aceitar o seu cabelo natural?

A mudança para os fios naturais vai além do que se vê no espelho. Muitas pessoas começam a alisar o cabelo após críticas externas, como bullying durante o período escolar. Outras optam pelos processos químicos por não se sentirem parte de um padrão social de beleza.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Os impactos que uma mudança de visual pode causar em alguém são diversos. “Primeiramente o impacto da auto aceitação, respeito e amor próprio, estamos falando de uma mudança que valoriza e proporciona autoestima elevada, esses aspectos ainda tão pouco comentados e muitas vezes tabus para muitas pessoas”, conta a psicóloga Sirlene Ferreira.

Ainda de acordo com Sirlene, a confiança para usar o cabelo natural também afeta outras áreas da vida de alguém. “Uma pessoa com amor próprio, autoestima elevada, supera qualquer obstáculo com muita leveza, pois acredita na própria força. A mudança é o reflexo da libertação dos padrões“, finaliza a especialista.

Transição capilar: antes e depois

Confira o antes e depois da transição capilar de três mulheres que vão inspirar e dar força a você para continuar nesse processo.

1- Débora Andrade

2- Valéria Soares

3- Paloma Nunes

Fontes

Médico dermatologista e tricologista Felipe Chediek (CRM-SC 26050), membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Sirlene Ferreira, psicóloga clínica

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Jéssica Dantas, YouTuber com foco em cabelo cacheado

Artigo Original

Deixe uma resposta