Menu fechado

Saiba como fazer para aumentar seu tempo de contribuição ao INSS pagando contribuições atrasadas

INSS Previdência Social Reforma da Previdência Aposentadoria Benefícios FGTS Bolsa Família Nis CNIS Extrato Banco Governo Pis Pasep Pis-Pasep Aposentado Idoso FGTS Caixa Banco do Cálculo Demora Brasil Maternidade Auxílio-Reclusão Saques Pagamento Vencimento Retiradas Refis MeuINSS Auxílio-Doença Aposentadoria Por Invalidez Contribuição BPC-Loas Pensão por Morte Pensionista Empréstimo Consignado

Saiba como fazer para aumentar seu tempo de contribuição ao INSS pagando contribuições atrasadas. Com a reforma da Previdência cada vez mais perto de entrar em vigor, segurados buscam meios de aumentar o tempo de contribuição para se aposentar com regras mais brandas. Fonte Jornal Agora – Escrito por Ana Paula Branco

Pagar contribuições atrasadas pode melhorar o cálculo do trabalhador, mas é preciso ficar atento para não perder dinheiro.

De acordo com a advogada Adriane Bramante, do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário), quitar os atrasados pode ser interessante para entrar na regra atual e fugir da reforma da Previdência, que mudará principalmente o cálculo dos benefícios do INSS. 

“É importante ressaltar que só pode pagar atrasado se comprovar exercício de atividade remunerada. Não é aconselhável o segurado sair pagando os atrasados sem que o INSS tenha analisado e autorizado o pagamento. Se fizer o pagamento sem essa prova, corre o risco de perder o dinheiro que pagou”, diz.

Principais mudanças da reforma para os trabalhadores do INSS

As contribuições pendentes só serão consideradas para o cálculo da aposentadoria quando estiverem quitadas. Por isso, o segurado deve verificar se pode arcar com a dívida à vista ou ao menos em poucos meses, e se compensa pagá-la. Quem vai acertar as contas com o INSS deve se preparar para multa e juros.

A advogada Yannaê Seniuk, do Ingrácio Advocacia, orienta calcular quanto tempo vai levar para recuperar o valor que foi investido, considerando a renda da futura aposentadoria.

O cálculo da dívida de até cinco anos pode ser feito pelo site da Receita Federal, já o de dívidas mais antigas só é possível nas agências do INSS. É bom lembrar que a Receita Federal terá informações sobre os pagamentos. “O Imposto de Renda do período deve ser compatível com o valor que será pago em atraso”, diz Yannaê.

Contribuições em atraso | Saiba como quitar

  • Pagar as contribuições pendentes ao INSS garante mais tempo de contribuição ao segurado
  • Os novos pagamentos ajudam a melhorar a média salarial e o cálculo da aposentadoria
  • Mas é preciso ficar atento às regras de pagamento para não perder dinheiro

ENTENDA O QUE FAZER
Veja os passos para saber se está devendo, quanto deve e como realizar o pagamento

  • Consulte o seu Cnis (extrato previdenciário)
  • Solicite o extrato pelo site https://meu.inss.gov.br ou em uma agência do INSS
  • Por meio dele é possível verificar todos os vínculos trabalhistas e previdenciários

QUEM PODE PAGAR AS CONTRIBUIÇÕES EM ATRASO

Autônomo (contribuinte individual)

  • Pode calcular contribuições em atraso pelo site do INSS a partir do primeiro recolhimento em dia nesta categoria ou a partir do cadastro da atividade na Previdência Social
  • O atraso não pode ultrapassar os últimos cinco anos

Atenção!

  • Se o trabalhador não tiver cadastro no INSS, precisará comprovar o exercício de atividade remunerada como autônomo no período em que não fez as contribuições
  • O INSS só vai considerar as contribuições depois de analisar e aprovar a documentação que prova que o segurado exerceu a atividade

Documentos que podem comprovar a atividade profissional:

  • Comprovante do Imposto de Renda
  • Contrato social ou de pessoa física
  • Inscrição de profissão na prefeitura
  • Recibos e notas fiscais
  • Microfichas de recolhimentos constantes no banco de dados do INSS

Donas de casa e estudantes (contribuinte facultativo)

  • Quem contribui como facultativo e deixa de recolher só pode pagar os valores em aberto se a guia não estiver atrasada há mais de seis meses
  • Se a contribuição tem mais de seis meses de atraso, o segurado precisa comprovar o exercício de alguma atividade profissional

Como fazer o pagamento

  • Se o atraso for menor do que cinco anos, basta fazer o cálculo pelo site http://sal.receita.fazenda.gov.br/ 
  • Neste caso, o trabalhador consegue emitir as guias e pagar os recolhimentos atrasados
  • É possível escolher o valor que deseja recolher (pelo salário mínimo ou pelo teto, por exemplo)

Multa e juros

Para quem tem dívidas de até cinco anos

  • O segurado que vai acertar as contas com o INSS precisa estar preparado para pagar multa e juros
  • O cálculo leva em conta a correção pela taxa básica de juros (Selic), além de multa proporcional ao período das contribuições atrasadas em até cinco anos
  • O cálculo pode ser feito no site da Receita Federal, em http://sal.receita.fazenda.gov.br/ 

Para quem deve INSS por mais tempo

  • No caso dos recolhimentos pendentes há mais de cinco anos, o valor pago será de 20% da média das 80% maiores contribuições desde julho de 1994 
  • Depois, será acrescida multa de 10%, além de 0,5% de juros ao mês até o máximo de 50% sobre o total
  • Se você quer pagar INSS em atraso para um período anterior a 14/10/1996, o INSS não poderia te cobrar juros nem multa.

COMO APROVEITAR O TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO E SE APOSENTAR ANTES DA REFORMA

Quite períodos curtos de atraso
Pequenas contribuições podem antecipar a aposentadoria ou afastar a incidência do fator previdenciário

Pague o débito à vista
O tempo de contribuição só será considerado quando a Receita Federal confirmar o pagamento, por isso a recomendação é quitar o valor total para já usar o tempo no pedido de aposentadoria

Analise o débito com cautela

  • Quanto mais antiga a dívida, maior será o valor de juros e correções, além da dificuldade de o INSS aceitar
  • Para saber se compensa quitar o débito, calcule quanto tempo vai demorar para recuperar o valor gasto, usando a renda da futura aposentadoria

Parcelamento da dívida

  • Os segurados podem parcelar o débito com o INSS em até 60 meses
  • Para efetivar o parcelamento, é necessário procurar a Receita Federal
  • A contribuição só será considerada para o cálculo da aposentadoria quando a parcela for confirmada como paga pela Receita Federal

Fontes: INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), Receita Federal e advogados Yannaê Seniuk, Rômulo Saraiva e João Badari





Artigo Original

Deixe uma resposta