Menu fechado

saiba como fazer carreira nessa área

saiba como fazer carreira nessa área

A Paleontologia é uma área que tem raiz na Biologia e na Geologia. O profissional que opta por atuar como paleontólogo tem a função de trabalhar com a reconstituição de espécies de plantas e animais que, há muito tempo, foram extintas e buscar entender como estas viviam na Terra. Esses estudos são feitos a partir de artefatos encontrados em sítios arqueológicos, como ossadas e fósseis.

No Brasil não há instituições de ensino que ofereçam o curso de Paleontologia. No entanto, isso não significa que não é possível tornar-se paleontólogo em nosso país. Quem deseja abraçar essa profissão pode cursar Geologia ou Biologia com ênfase em Paleontologia e, ainda, posteriormente, ingressar em um curso de pós-graduação que possua linhas de pesquisa ligadas a essa área. 

Paleontologia é a especialidade que estuda a geologia de milhares de anos atrás
O paleontólogo estuda os fósseis para compreender as formas de vida do passado. (Foto: Divulgação).

Onde estudar Paleontologia?

Apesar de não haver universidades que ofereçam cursos de graduação em Paleontologia, existem diversas possibilidades para quem deseja fazer carreira nessa área. Uma delas é a de fazer um intercâmbio em uma universidade estrangeira que possua a Paleontologia entre suas opções de curso. 

Para isso, é necessário, antes de qualquer coisa, pesquisar as instituições internacionais que recebem estudantes estrangeiros e explorar a cidade e o país em que essas instituições estão instaladas. 

Confira algumas das Universidades que oferecem oportunidades para Brasileiros estudarem Paleontologia no exterior: 

– Universidade de Bristol (Inglaterra);

– Universidade de Macquarie (Austrália);

– Universidade de Toronto (Canadá);

– Universidade de Witwatersrand (África do Sul);

– Universidade de Oklahoma (Estados Unidos).

Agora, se deixar o país para cursar Paleontologia não é uma opção, a possibilidade é a de estudar Geologia ou Biologia no Brasil e especializar-se, ao longo do curso ou posteriormente, nos estudos paleontológicos. 

Os estudos nessa área, no Brasil, estão crescendo e se desenvolvendo cada vez mais. O país conta com 10 sítios arqueológicos espalhados de norte a sul. Entre eles está o Vale dos Dinossauros, no Rio Grande do Sul, que é considerado o maior sítio paleontológico do Brasil. Lá são encontrados rastros e trilhas fossilizados de mais de 80 espécies de dinossauros. 

Onde especializar-se no Brasil?

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) possui um Programa de Pós-Graduação em Geologia com uma linha de pesquisa voltadas especificamente para a Paleontologia: Micropaleontologia focada em foraminíferos. Estes são protozoários que vivem em ambiente de água salgada compostos de calcário. Algumas delas sobreviveram ao tempo, como os corais encontrados no oceano.

A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) conta com o Programa de Pós-Graduação em Genética, Biodiversidade e Preservação, com a linha de pesquisa em Paleoecologia. Esta é uma parte da Geologia que estuda os fósseis encontrados em sítios arqueológicos a fim de investigar e compreender os modos de vida de espécies extintas. 

Essa é uma área muito importante para os estudos a respeito da preservação do meio ambiente nos dias de hoje, já que visa compreender como eram os aspectos climáticos à época em que esses animais eram vivos e as condições em que estes morreram e seu processo de decomposição. 

Além dessas duas opções de Pós-Graduação Stricto-Sensu, a Universidade Federal do Ceará (UFC) oferece a especialização (Lato-Sensu) em Paleontologia e Geologia Histórica.

A atuação na área da Paleontologia

A área mais significativa da atuação do profissional especializado em Paleontologia no Brasil é a pesquisa científica no ambiente acadêmico como mestre ou doutor. Este tem a responsabilidade em produzir e divulgar conteúdo científico a fim de dar continuidade aos estudos práticos neste campo. 

Além disso, o paleontólogo pode atuar em parques arqueológicos e paleontológicos realizando estudos com os fósseis e prezando pela preservação. É um trabalho de extrema importância atualmente, já que alguns desses sítios se encontram em situação de abandono e descaso e correm o risco de perder os registros fossilizados. 

O especialista em Paleontologia também pode atuar como consultor para produções audiovisuais. Para a produção de filmes como Jurassic Park, por exemplo, os diretores contaram com o auxílio desse tipo de profissional para obter suporte científico a fim de prezar pela verossimilhança da história. 

O paleontólogo também encontra oportunidades de desenvolver seu trabalho e estudos em museus que contam com acervo de peças fossilizadas e esqueletos total ou parcialmente reconstituídos a partir de buscas arqueológicas. Pode atuar, neste ambiente, tanto como pesquisador, quanto como guia orientando visitas e dando explicações e informações a respeito das espécies e do período histórico em que existiram. 

Uma área que está em crescimento e oferecendo muitas oportunidades para o especialista em Paleontologia no Brasil é justamente a da micropaleontologia. A indústria petrolífera tem contratado profissionais desta área para realizar estudos em camadas mais profundas do pré-sal a fim de identificar a presença e a qualidade da substância em determinadas regiões. 

Da mesma forma que falamos sobre a importância dos estudos da História e da Arqueologia nos nossos dias, a fim de entender como a sociedade se desenvolveu através do tempo e como tudo mudou até que chegássemos aqui, a Paleontologia é igualmente importante para que possamos compreender como as espécies viviam, quais eram as condições e o que as levou à extinção. 

A Paleontologia é uma profissão para quem tem interesse na História do mundo e nas ciências biológicas. Aquele que deseja mergulhar nessa área deve ter espírito desbravador, ser curioso e gostar muito de estudar e ler. É importante lembrar que esta ciência não estuda somente dinossauros, mas incontáveis espécies que já deixaram sua pegada nesse mundo. Ao estuda-las o profissional pode obter e divulgar as respostas de que precisamos sobre as pegadas que nós, humanos, estamos deixando. 

Artigo Original

Deixe uma resposta