Menu fechado

Remada alta fortalece ombros e trapézio; veja como fazer exercício sem erro – 19/06/2019

Remada alta fortalece ombros e trapézio; veja como fazer exercício sem erro - 19/06/2019

A remada alta é um movimento muito comum no treino de musculação e tem como objetivo trabalhar os deltoides (ombros) e trapézio. Porém, muitas pessoas executam o exercício de forma incorreta, o que o torna menos efetivo.

“É comum vermos alunos com a postura errada ou subindo demais os braços”, diz o profissional de educação física Philipp Ebert, personal trainer da academia Les Cinq Gym e especialista em treinamento funcional.

Para quem é iniciante na academia ou tem dificuldade de fazer o movimento certo, uma boa opção é realizá-lo com o kettlebell (peso em forma de “sino” que conta com uma alça, como o usado no vídeo acima). Por conta do formato do acessório, você não precisará segurar dois objetos, como no caso de malhar com halteres, o que exige maior coordenação motora.

Músculos trabalhados

Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Os principais músculos trabalhados na remada alta são:

  • Deltoides (porção anterior, medial e posterior)
  • Trapézio (feixe anterior, posterior e porção média)

Benefício extra

– Melhora a execução de outros exercícios Por conta da ativação de músculos e mecanismo do movimento, a remada alta serve como educativo para exercícios de arranque e arremesso de peso –muito usados no crossfit.

Como fazer remada alta

Abaixo (e no vídeo acima), explicamos como realizar o exercício com o kettlebell. Mas o movimento também pode ser feito com uma barra, na polia, com halteres, com elásticos. A execução com esses outros acessórios é basicamente igual.

  1. Com os pés afastados na largura dos ombros, segure o kettlebell à frente do quadril.
  2. Deixe os braços estendidos e a palma das mãos voltada para o corpo.
  3. Eleve os cotovelos até a altura dos ombros, puxando o peso para cima, em direção ao queixo.
  4. Mantenha os cotovelos sempre mais altos do que o punho para preservar as articulações.
  5. Devagar, retorne à posição inicial.

Evite erros comuns

Ultrapassar a linha dos ombros com os cotovelos aumenta a tensão nas articulações dos praticantes que não têm boa mobilidade. Para garantir a segurança, procure não exagerar na amplitude do movimento.

– Subir muito o peso, forçando a articulação do punho. O ideal é que as mãos não subam mais que os cotovelos. “Assim, o exercício fica mais eficiente e as articulações são preservadas”, indica Ebbert.

– Deixar o peso longe do corpo. “O perigo nessa execução é forçar demais a lombar e articulações como as do ombro, causando uma lesão. Procure deixar o acessório a poucos centímetros de você”, explica Wilmar Villas dos Santos, profissional de educação física especialista pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e professor na rede de academias Cia Athletica.

– “Dar” impulso com as pernas ou core. Para não ocasionar lesões, deve-se manter uma execução controlada e o corpo estático durante todo o movimento.

Como se condicionar para fazer

Se você não está acostumado a realizar a remada alta, exercícios complementares como o desenvolvimento de ombros, elevações laterais e frontais e crucifixos invertidos são ótimas opções para preparar os músculos e articulações para a execução segura do movimento.

Como evoluir

Se o movimento ficar fácil, você pode realizar variações, como utilizar barras ou halteres no lugar do kettlebell. “Alterar a carga, velocidade e número de repetições também dará estímulos diferentes para seu corpo. O ideal é consultar um profissional de educação física para adequar as mudanças necessárias para você”, orienta Santos.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook – Instagram – YouTube

https://platform.instagram.com/en_US/embeds.js

Artigo Original

Deixe uma resposta