Menu fechado

quando e como fazer as melhores compras — idealista/news

Black Friday: quando e como comprar

Aproximam-se os dois momentos mais “consumistas” do ano: o Black Friday 2019 e o Cyber Monday 2019. Estas datas, importadas dos EUA, já se estabeleceram em Portugal e marcam, oficialmente, o início das campanhas de Natal. Durante estes dois dias, milhares de lojas físicas e online aplicam promoções especiais e descontos aos seus produtos.

Para facilitar as tuas compras, contamos-te quais são os descontos que mais merecem a pena, em que dias se aplicam, quais são os produtos mais demandados e damos-te alguns conselhos sobre como saber se as ofertas são reais, para que não sejas alvo de fraude:

Quando é o Black Friday?

O dia da sexta-feira “negra” realiza-se sempre na primeira sexta-feira após o Dia de Ação de Graças nos EUA, pelo que este ano se celebrará no dia 29 de novembro. No entanto, e seguindo a tendência dos anos anteriores, tudo indica que os consumidores poderão encontrar descontos em lojas físicas e online nos dias anteriores.

Durante o evento em Portugal, um consumidor adquire em média 3,2 produtos e, este ano, os portugueses planeiam gastar uma média de 304,54 euros euros, em lojas online e físicas, segundo um estudo da Picodi. É também importante referir que, de acordo com um estudo da Google, as pesquisas por Black Friday “crescem 34% de ano para ano e ocorrem durante todo o mês de novembro”.

No que diz respeito aos consumidores, os homens são os que mais gastam durante o período de promoções do Black Friday e Cyber Monday e pretendem gastar uma média de 364,76 euros vs os 240,03 euros que as mulheres pensam gastar.

Quando é o Cyber Monday?

O Cyber Monday decorre na segunda-feira depois do Black Friday, sendo que este ano será no dia 2 de dezembro. A principal diferença das ofertas realizadas durante este dia é o facto de que estas se centram no mundo das compras online (enquanto que durante a Sexta-feira Negra, podemos também encontrar descontos nas lojas físicas) e que, pelo menos nos últimos anos, a gama de ofertas é menor. Nos EUA, contudo, o volume de negócios tende a ser maior durante a Segunda-feira cibernética.

Duração das ofertas

A maioria das lojas aplica descontos durante quatro dias: Black Friday, o fim-de-semana e Cyber Monday, ou seja, entre 29 de novembro e 2 de dezembro. Algumas lojas optam por oferecem uma semana inteira de descontos, durante os dias anteriores ao Black Friday, a chamada Semana Negra (Black Week).

Qual é o melhor momento para comprar?

Esta questão não tem uma resposta definitiva, uma vez que tudo depende do que queres e onde queres comprar. Por exemplo, o Cyber Monday baseia-se em descontos online, pelo que se desejas comprar numa loja física, a melhor opção seria o Black Friday durante os dias que dure a campanha.

No caso dos produtos tecnológicos e dos eletrodomésticos, as melhores ofertas estão normalmente disponíveis durante a Cyber Monday, embora o consumidor corra o risco de que se esgote o stock de determinados produtos, devido às vendas da Sexta-feira Negra. Por outro lado, existem estudos que dizem que se queres comprar um computador novo, deves apostar pelas ofertas da Black Friday.

As marcas e produtos mais desejados durante a Black Friday

De acordo com a página web Muy Canal, as três grandes mais procuradas a nível internacional são, por essa ordem, Walmart, Amazon e Best Buy.

Em Portugal, MediaMarkt, Worten estão entre as mais procuradas pelos consumidores que, durante este período, realizam compras para consumo próprio (58%), para adiantar os presentes de Natal (29%) e para família e amigos (27%).

E que que tipo de produtos compram os portugueses? Mais de metade (56%) das vendas no Black Friday correspondem a vestuário e calçado, seguindo-se no ranking artigos de tecnologia (49%), perfumes e cosmética (24%), eletrodomésticos (21%) e brinquedos (16%).

Durante esta semana de descontos, mais de metade dos homens (56%) aposta por compras nos setor da tecnologia e 14% opta pela compra de consolas e jogos. Por outro lado, as mulheres apostam na moda e acessórios (50%), perfumes e cosmética (25%) e móveis e decoração do lar (14%), entre outros.

Podes consultar aqui os principais descontos da Black Friday que podem ser perfeitos para a tua casa ou para escapar dela.

Black Friday nem sempre significa desconto

Existem algumas recomendações que todos os consumidores devem seguir, a fim de evitar sustos, porque os produtos nem sempre têm desconto, mesmo quando parece que sim. Segue estes conselhos se queres fazer um bom negócio:

  1. Se encontras uma boa oportunidade de negócio, aproveite-a, mas não te deixes levar pela inércia. É conveniente ter claro o que é que necessitas e o que é que podes pagar por cada produto.
  2. Comparar é poupar: por um lado, podes encontrar o mesmo produto a preços muito diferentes. Por outro, muitas vezes existe um produto melhor que pode sair mais barato ou que pode ter uma melhor relação qualidade/preço.
  3. Verifica que ao lado do preço descontado está indicado o preço original ou a percentagem de desconto (ou ambos).
  4. Embora seja uma promoção, as garantias são as mesmas de sempre: se a compra for feita presencialmente, o estabelecimento só é obrigado a devolver o dinheiro se o produto tiver um defeito de fábrica. Em caso de arrependimento ou erro (sapatos pequenos, uma peça de vestuário que não gostas, etc) as lojas NÃO são obrigadas a devolver nada (embora muitas tenham políticas de devolução e, se o produto for devolvido, oferecem um voucher pelo mesmo preço para gastar a loja). 
  5. Os produtos com desconto devem ter a mesma qualidade que os produtos sem desonto: a norma não permite que produtos defeituosos sejam vendidos como produtos em saldo.
  6. Durante estas vendas, a loja pode aplicar algumas condições especiais (não aceitar pagamento por cartão, alterar a sua política, alterar o sistema de devoluções …), mas deve anunciá-lo de forma clara e visível a todos os clientes.
  7. O talão ou fatura são necessários para qualquer reclamação: guarda-os.
  8. Os estabelecimentos devem ter Folhas de Reclamações disponíveis para o consumidor que as solicite. Esta deve ser preenchida em 3 exemplares: um para o consumidor, outro para o estabelecimento e um terceiro a apresentar à entidade responsável pelo consumo.
  9. Para compras feitas através da Internet, os utilizadores têm 14 dias para mudar de ideais e devolver o produto sem dar qualquer explicação: a loja é obrigada a devolver o valor total. Se o pagamento for feito online, utiliza um cartão pré-pago, um cartão de crédito ou Paypal, e evita transferências bancárias se o vendedor não for totalmente fiável. 
  10. As compras por impulso não são boas, por isso é aconselhável fazer uma lista do que é realmente necessário.

Artigo Original

Deixe uma resposta