Menu fechado

Forte e intenso! Saiba como fazer sexo ‘de quatro’ de forma mais gostosa ainda – Diário Online

Forte e intenso! Saiba como fazer sexo 'de quatro' de forma mais gostosa ainda - Diário Online

Se você gosta de fazer sexo, talvez a posição “de quatro” seja uma de suas favoritas. Não é a mais romântica, mas com certeza uma das mais intensas. 

A penetração é mais profunda, versátil (com várias possibilidades!) e um ótimo jeito de chegar ao orgasmo. Então, por que não experimentar ou mesmo aperfeiçoar? Fique atento/a às dicas:

A posição

Como o nome é autoexplicativo, a mulher (ou o homem) fica literalmente de quatro, apoiada sobre joelhos e mãos, com as pernas ligeiramente abertas. O parceiro se ajoelha para poder penetrá-la/o por trás.

Técnica

Em posições sexuais mais comuns, como “papai e mamãe”, por exemplo, a transa pode ser mais carinhosa, com direito a beijos e olho no olho. Na posição de quatro, os carinhos ficam mais difíceis, mas o sexo mais selvagem.

Brinquedinhos sexuais também ajudar a apimentar. “O vibrador para estimular o clitóris é uma boa pedida!”, sugere a sexóloga Ana Canosa.

Por que amar o sexo de quatro?

Além do parceiro ter como vista suas costas e bumbum, ele ainda consegue assistir à penetração, o que faz com que ele se exite ainda mais. O que pode ser muito bom para ele, mas ao contrário do que muitas mulheres imaginam, elas também ganham muito. Até porque, nessa posição, o homem consegue acessar o clitóris de forma mais fácil, o que pode gerar múltiplos orgasmos para a parceira.

O sexo de quatro também pode remeter às posições de dominador e dominado e incomodar. Algumas pessoas reclamam também da natureza animalesca. Embora o homem assuma a postura de dominador, se os dois estiverem curtindo, o sexo tende a ser incrível. Uns puxões de cabelo e tapas no bumbum podem deixar a prática interessante também.

Para que o sexo fique mais gostoso, fazer carinhos, beijar as costas e até inclinar-se para frente, ajuda a aumentar a intimidade. Apesar de ser gostoso, se o homem for mais bruto, pode ser doloroso.

O ritmo, a intensidade e a profundidade devem ser controladas. A sexóloga Carla Cecarello explica: “A dor existe não por causa da posição, mas sim, porque há pouca excitação para aquela relação sexual, ou então, a mulher encontra-se tensa, enrijecendo os músculos da pélvis. Sentindo dor, o melhor mesmo é parar. Ninguém merece continuar uma transa com dor”. 

Artigo Original

Deixe uma resposta