Menu fechado

Estagnado no emagrecimento? Saiba como fazer para voltar a perder peso

Estagnado no emagrecimento? Saiba como fazer para voltar a perder peso

É muito comum que, em algum ponto do processo de emagrecimento, os ponteiros da balança se recusem a abaixar, mesmo com alimentação adequada e prática regular de exercícios físicos. Esse patamar é chamado de efeito platô. A perda de peso não é considerada um processo linear, pois depende de vários fatores, inclusive fisiológicos. O corpo tende a se adequar ao regime e, quando chega neste momento, usa as calorias recebidas pela alimentação e para de gastar as gordurinhas.

Apesar de ser frustrante, o efeito platô pode ser evitado e vencido por meio de consultas nutricionais periódicas. Nela são feitos ajustes na alimentação e recomendações para a rotina de exercícios físicos.

Por que acontece o efeito platô?
No início do processo de perda de peso é normal que se observe diferença logo nas primeiras semanas. No entanto, à medida que a quantidade de calorias se mantém, o corpo atinge um novo equilíbrio, tornando-se adaptado à nova situação, ajustando a quantidade de calorias gastas diariamente com a que é consumida — isso caracteriza o efeito platô.

Além da adaptação, o efeito platô pode acontecer quando a pessoa segue por um longo período o mesmo plano alimentar ou de treino, quando realiza uma dieta restrita por muito tempo ou perde rapidamente muito peso, havendo diminuição do metabolismo.

  • Istock/SIphotography

    Perder peso é um processo fisiologicamente lento, justamente porque não é algo natural ao organismo

  • Nadine Primeau/Unsplash

    Um organismo que funciona rápido queima mais calorias e agiliza a perda de peso. Dieta deve durar 28 dias e exige acompanhamento nutricional

  • Istock/RyanKing999

    O processo de perda de peso é, muitas vezes, um processo agressivo ao organismo, que reage a isso

  • O efeito platô costuma acontecer após seis meses de dieta de restrição calórica, sendo, por isso, importante que a pessoa seja acompanhada por um nutricionista.

    Como evitar e sair do efeito platô

    • Alterar os hábitos alimentares, pois quando se faz a mesma dieta por um período prolongado, o organismo se acostuma com a quantidade de calorias e nutrientes que vão ser consumidos diariamente. Para que não existam alterações em processos metabólicos, o corpo adapta-se, diminuindo o gasto energético e desacelerando o processo de queima de gordura;
    • Mudar o tipo e a intensidade do treino, pois dessa forma é possível estimular o corpo a gastar mais energia, evitando o efeito platô e favorecendo a perda de peso e ganho de massa muscular. Em algumas situações, pode ser interessante ter acompanhamento de um profissional de educação física para estabelecer um plano de treino de acordo com o objetivo e promover diferentes estímulos para o corpo;
    • Beber água durante o dia, pois a água é fundamental para o bom funcionamento do organismo, para que os processos metabólicos aconteçam. Na ausência ou pouca quantidade de água, o corpo passa a guardar energia para realizar o metabolismo, interferindo no processo de perda de peso e favorecendo o efeito platô. Por isso, é recomendado beber pelo menos dois litros de água por dia, inclusive durante a prática de exercícios;
    • Descansar, pois é importante para regeneração muscular, que permite o ganho de massa muscular, essencial para o aumento do metabolismo e queima de gordura. Além disso, dormir bem ajuda na regulação dos hormônios relacionados à fome.

    No caso de pacientes com problemas hormonais, é importante que, além da orientação do nutricionista, a pessoa seja acompanhada por um endocrinologista. A verificação periódica da concentração desses hormônios no sangue é importante: a partir daí é possível saber se a ausência de perda de peso é devido ao efeito platô ou consequência de distúrbios hormonais, sendo necessário iniciar ou alterar o tratamento.

    É recomendado também não fazer dietas restritas por um longo período sem orientação nutricional. Além de resultar em deficiência de nutrientes e favorecer o efeito platô, elas podem ter como consequência distúrbios alimentares, como a compulsão e o efeito sanfona. (Com informações do portal Tua Saúde)

    Artigo Original

    Deixe uma resposta