Menu fechado

Especialista dá dicas sobre como fazer um videocurrículo e aumentar chances de contratação | Campinas e Região

Especialista dá dicas sobre como fazer um videocurrículo e aumentar chances de contratação | Campinas e Região

Um novo formato tem se tornado cada vez mais popular na hora de realizar o processo seletivo de empresas nos mais diversos setores: o videocurrículo. Trata-se de um vídeo curto e que pode ser gravado com o próprio celular. Nele, as empresas pedem para que o candidato esclareça o porquê ele merece ser contratado, além de apresentar um resumo de sua experiência profissional.

Algumas dicas, no entanto, são indispensáveis para acertar em cheio na hora de enviar o material. Para o consultor empresarial Marcelo Jabur, um detalhe imprescindível é ter conhecimento da empresa onde se quer trabalhar. Outra ferramenta que deve ser adotada é a preparação antes de gravar o conteúdo.

“Escrever um texto antes de gravar pode ser interessante. Não necessariamente para decorar, porque a mensagem deve ser natural. Do outro lado, a pessoa quer entender quais são as suas competências, suas capacidades de resolver os problemas da empresa. Falar de maneira natural é importante”.

Segundo especialista, preparar um texto previamente pode ser uma maneira de se preparar  — Foto: Reprodução/EPTVSegundo especialista, preparar um texto previamente pode ser uma maneira de se preparar  — Foto: Reprodução/EPTV

Segundo especialista, preparar um texto previamente pode ser uma maneira de se preparar — Foto: Reprodução/EPTV

Jabur destaca, ainda, que o videocurrículo está em um processo inicial, sendo utilizado por algumas empresas, mas deve se tornar cada vez mais comum.

“A tendência é aumentar. É um atalho, as empresas conseguem conhecer de uma maneira um pouco mais aprimorada. Isso é positivo para a empresa e, também, para o candidato”.

Quanto mais natural, melhor

Quanto à edição do material enviado, Jabur salienta que, quanto mais corrido for o vídeo, ou seja, sem cortes, melhor para o interessado em ocupar uma vaga.

“Tem que ser natural. Quando a edição do vídeo implica em corrigir erros na gravação, é evidente que a pessoa do outro lado vai entender que houve muitos erros e que faltou naturalidade. Pode ser que a pessoa divida o vídeo em blocos de informação e fazer uma certa edição, não necessariamente para corrigir, fazendo uma edição um pouco mais sofisticada”.

Formado há um ano e meio, o jornalista Ricardo Costa foi desafiado por uma multinacional a mandar um videocurrículo na hora de concorrer a uma vaga. Ele revela que ficou com medo ao saber que o material deveria ter, no máximo, dois minutos.

Ricardo Costa conseguiu ser contratado após enviar videocurrículo — Foto: Reprodução/EPTVRicardo Costa conseguiu ser contratado após enviar videocurrículo — Foto: Reprodução/EPTV

Ricardo Costa conseguiu ser contratado após enviar videocurrículo — Foto: Reprodução/EPTV

“Você tem que mostrar que é o candidato perfeito para a vaga e também mostrar suas experiências. É um jeito de transformar o currículo em algo atrativo para aquela vaga”.

Costa relata que fez um roteiro pelo celular e que personalizou o texto para que este se encaixasse nos requisitos da oportunidade. O resultado deu certo e o profissional foi efetivado.

A estudante de publicidade e propaganda Mariana Arantes recebeu o pedido para enviar o videocurrículo nos três processos seletivos que prestou, com um detalhe: em todos eles, a estudante precisou enviar uma segunda versão, em inglês.

Mariana Arantes garante que gostou da experiência de ter que enviar um videocurrículo — Foto: Reprodução/EPTVMariana Arantes garante que gostou da experiência de ter que enviar um videocurrículo — Foto: Reprodução/EPTV

Mariana Arantes garante que gostou da experiência de ter que enviar um videocurrículo — Foto: Reprodução/EPTV

“Na maioria dos vídeos eu falei um pouco sobre mim, as minhas qualidades, e estudei bastante sobre a empresa”.

O principal desafio, segundo Mariana, foi lidar com a câmera. Para ela, em uma entrevista presencial, detalhes como a maneira com que o candidato fala acabam passando despercebidos.

“Você se prepara mais em uma entrevista por vídeo. Tem que estar preparado para tudo, fiquei bem feliz, aprendi bastante”.

Artigo Original

Deixe uma resposta