Menu fechado

Como fazer poke havaiano em casa: veja receita fácil e refrescante

Como fazer poke havaiano em casa: veja receita fácil e refrescante

Poke havaiano . Crédito: Bia Brunow

Todo mundo que curte inventar moda na cozinha sonha com a liberdade de reproduzir famosos pratos de restaurante em casa. Eu sei disso porque foi assim que eu mesma embarquei nesse universo da culinária. Tentava reproduzir alguns sabores marcantes conhecidos em viagens e restaurantes que eu não teria mais tempo ($) de visitar.

Parte desse malabarismo que a gente inventa quase sempre tem o propósito de surpreender alguém. Seja aquele grupo de amigos, a família, um crush: todo mundo quer olhares encantados e onomatopeias de prazer quando a mesa é servida. E a gente segue olhando fotos no Instagram e em livros de culinária, provando receitas que nunca imaginamos ser possível fazer em casa. Mas algumas coisas parecem mais complicadas do que realmente são… e esse é o caso do maravilhoso e refrescante poke.

A origem do prato

O prato surgiu no Havaí em meados dos anos 60 como comida de guerrilha dos pescadores da época. Pelo seu frescor, acabou caindo nas graças dos surfistas. Daí não é difícil imaginar o caminho que percorreu para entrar de uma vez no gosto popular. Poke significa algo como “cortar em pedaços”, e eu posso dizer seguramente que o corte é o passo mais importante para fazer um poke de respeito.

Sua receita mais tradicional consiste em pedaços de peixe fresco e arroz japonês servidos em um bowl. O prato pode ter inúmeros acompanhamentos. Legumes, frutas, picles, castanhas, algas e cogumelos são os preferidos por aqui. Em cumbucas mais modernas ainda podemos encontrar versões vegetarianas ou com proteínas cozidas. Em algumas outras o arroz japonês dá lugar a outros grãos, como a quinoa ou o arroz integral.

No Brasil, como de costume, tem até quem coloque uma boa colherada de cream cheese (para espanto de absolutamente ninguém). No fim das contas, verdade seja dita: com um pouco de estratégia, uma faca afiada e uma cumbuca a gente consegue fazer um poke com o que tem na geladeira. Então, bora tentar?

Antes da receita, algumas dicas importantes: 

  1.  Use peixes sempre frescos. Se não tiver os tradicionais salmão e atum, pode tentar a receita com um peixe de carne branca, frutos do mar cozidos (com camarões fica uma delícia) ou até substituir a proteína animal por cogumelos salteados, tofu ou legumes. Berinjela com missô e mel é uma excelente pedida. 
  2. Cuidado com as proporções. Tente montar cumbucas com quantidades iguais de arroz, peixe e acompanhamentos. 
  3. Faça um mise en place caprichoso. Corte os legumes em lâminas finas e o peixe em cubos precisos. Nesse prato o corte é tudo!
  4. Não exagere nos molhos. Excesso de condimentos pode acabar com o frescor e com a leveza do prato. 
  5. Frutas funcionam muito bem: tente manga verde em tiras finas ou avocado. 
  6. Coma na hora. O poke é um prato para se comer fresco!

INGREDIENTES:

  • 100g de atum fresco em cubos
  • 100g de salmão fresco em cubos
  • 1 pepino japonês em fatias bem finas
  • ½ cebola roxa em fatias bem finas
  • 2 rabanetes em rodelas bem finas
  • 1 xícara de vinagre de arroz
  • 4 colheres de açúcar
  • ½ xícara de saquê de cozinha (mirin)
  • 1 xícara de arroz japonês
  • ½ xícara de shoyu de boa qualidade
  • Gengibre em conserva
  • Gergelim preto e branco tostado
  • Cebolinha verde cortada fina
  • ¼ repolho roxo cortado fino
  • Folhas de alga nori
  • Gotas de óleo de gergelim torrado

MODO DE PREPARO:

Comece cortando tudo bem direitinho. Leve ao fogo o vinagre, o açúcar e o saquê de cozinha. Quando levantar fervura desligue. Numa vasilha acrescente a cebola, o pepino e o rabanete cortado. Despeje o molho e reserve. O resultado vai ser uma conserva agridoce parecida com sunomono.

Para o arroz, o mais importante é lavar até que a água saia transparente. Depois desse processo, seque os grãos com uma peneira e acrescente água fria um dedo acima do arroz. Cozinhe em fogo médio até evaporar a água. Desligue o fogo e tampe. O arroz deve ficar al dente e não muito grudento.

Para o molho, misture o shoyu, umas gotas de óleo de gergelim e o gengibre (fresco ou em conserva) ralado ou em pedaços. Junte aos cubos de peixe para que marinem por alguns minutos. Em seguida, é só montar.

Comece pelo arroz e pelo peixe. Em seguida, disponha os legumes e as frutas, sem misturá-los. Por cima do arroz, junte o gergelim e os pedacinhos de alga nori. Sirva com cebolinha e com um pouco mais de molho à parte.

Acompanhe a colunista no Instagram.

Artigo Original

Deixe uma resposta