Menu fechado

Como fazer o descarte de pilhas e baterias?

Como fazer o descarte de pilhas e baterias?

Se você possui em casa pilhas ou baterias porém não sabe onde descartá-las, a resposta está aqui. Todo estabelecimento que comercializa esse tipo de produto – em teoria – deve ter um ponto de descarte segregado de outros resíduos. Então, se houver um supermercado de grande porte ou uma assistência técnica de celulares perto de onde você reside, ambos são lugares adequados para o descarte de pilhas e baterias usadas.

Porém, essa não é a história toda, e nós vamos te explicar tudo sobre o tema. Além disso, é claro, vamos falar sobre a importância do descarte adequado, para que você saiba o porquê de estar tomando uma decisão nesse sentido.

Leia mais: Internet das Coisas: o que é e como funciona

A importância do descarte correto de pilhas e baterias

Sustentabilidade é uma palavra em voga no século 21. Surgindo como uma necessidade, em oposição ao padrão comportamental adotado pela sociedade do consumo, tenta converter ou pelo menos conter o avanço do descaso humano para com o planeta e a população humana.

Nessa seara, diversas são as políticas adotadas para manter-nos num ecossistema equilibrado, que permita a sua própria permanência no tempo. Uma delas aborda o descarte de pilhas e baterias feito de maneira adequada.

Isso acontece porque esses objetos contêm substâncias altamente nocivas tanto à saúde humana quanto ao meio ambiente: os chamados metais pesados. Em contato com o corpo, podem causar câncer e mutações genéticas. Em contato com o solo, esterilizá-lo. Com o sistema hidrográfico, deixar a água imprópria para consumo.

Contudo, vale esclarecer que pilhas e baterias por si sós não oferecem riscos. Tanto as em uso quanto as já terminadas, quando acondicionadas adequadamente, possuem envólucros capazes de conter os materiais tóxicos por longos períodos de tempo.

O problema chega quando elas são descartadas inadvertidamente, se misturando com o lixo comum e sofrendo com deformações nas cápsulas. Se amassadas, vazadas, estouradas ou rachadas, permitem a saída do líquido tóxico de seus interiores, não-biodegradável. Isto é, independentemente do passar dos anos, a natureza não consegue consumi-lo.

Para evitar, então, que desastres aconteçam é simples. Basta fazer o descarte de pilhas e baterias usadas em locais específicos, a partir dos quais elas serão coletadas com procedimentos de segurança, acondicionamento e transporte adequados e levadas a centros de triagem e reciclagem. 

Como fazer o descarte correto de pilhas e baterias

Pilhas, baterias caseiras, baterias de celular ou quaisquer outros produtos semelhantes têm descarte adequado. Porém, é preciso ressaltar, de antemão, o que não fazer:

  • Nunca jogue pilhas ou baterias no lixo comum.

Como são diversos os problemas decorrentes, porém não os visualizamos diretamente, podem passar desapercebidos. Imagine que o material tóxico de pilhas e baterias, em contato com a natureza, pode alcançar, inclusive, lençóis freáticos. Depois, prejudicar agricultura e hidrografia. Isso, sem falar nos indivíduos que trabalham em lixões como catadores de lixo, porque o manuseio, nesses casos, é feito diretamente, quase sempre sem equipamentos de proteção.

A Resolução 257/99 do CONAMA instrui que o descarte de pilhas ou baterias que contenham chumbo, cádmio ou mercúrio em suas composições seja realizado junto aos estabelecimentos que comercializem esses produtos ou à rede de assistência técnica autorizada por indústrias do segmento, para, então, serem repassadas a fabricantes ou importadores.

Assim, o melhor a fazer é seguir o Ministério do Meio Ambiente:

  • Descarte pilhas e baterias em pontos de coleta em estabelecimentos e assistências técnicas que comercializam esses produtos.

De uma maneira bem objetiva, sabe aquele supermercado grande que fica perto de onde você mora? Pela Resolução, ele deve ter ponto de coleta e descarte segregado.

E, de fato, isso é bem comum de se ver. Grandes redes supermercadistas geralmente contam com placas que sinalizam pontos de descarte de pilhas.

Além dessa forma, existem empresas que tratam de maneira especializada esse tipo de material descartado, coletando-o e direcionando-o a centros de reciclagem. Porém, não são tão comuns, além de não estarem presentes em todas as cidades. Mas, se você souber de alguma, com certeza nela vão receber as suas pilhas de bom-grado.

Leia mais: Conheça tecnologias para deixar a sua casa inteligente

A importância da conscientização da população

Números são capazes de explicar o porquê de ser tão importante conscientizar a população sobre o descarte de pilhas e baterias.

O Brasil produz cerca de 1 bilhão de pilhas por ano. Fora elas, mais 400 milhões de baterias de celular no mesmo período. Então, imagine dar conta de tanto descarte tóxico, caso ele se misture a tudo o que colocamos na lata de lixo comum.

E, o pior, nem estamos falando sobre um assunto ainda mais grave: 33% das pilhas usadas no país são pirateadas, e essas não estão sujeitas ao controle na hora da produção, o que faz com que contenham mercúrio em escala muito superior à permitida, segundo o diretor do Associação Brasileira de Indústrias Elétricas e Eletrônicas.

Desse modo, conscientizar a população sobre o descarte de pilhas e baterias se tornou matéria urgente, sobretudo porque em algumas cidades há, inclusive, problemas para manter os pontos de coleta ativos, tendo em conta seu desuso.

Manter ambientes e ecossistemas saudáveis, aptos à autorreprodução, depende de quanto esforço vamos dedicar daqui pra frente para tomar parte no apoio que o meio ambiente solicita. Ajudar o planeta passa pela conscientização de quem é apto a tomar alguma atitude. 

Por menor que pareça ser, os cuidados com o descarte de pilhas e baterias são capazes de contribuir à sua medida.

Como é o processo da reciclagem de pilhas e baterias

Após o descarte de pilhas e baterias e o encaminhamento a centros de reciclagem, elas passam por um processo de triagem, para que se saiba de qual tipo são. Isso, porque alguns itens da composição podem determinar o caminho a ser seguido.

Porém, em geral, o primeiro passo real é separar os materiais que as compõem. Para isso, são cortadas e têm a cobertura removida, geralmente em plástico. Depois, são lavadas para extração de resíduos químicos por completo. Os plásticos seguem o caminho da reciclagem desse tipo de material.

As partes metálicas vão para uma trituradora, que as transforma em um pó com pH neutro. Apesar de menos nocivo à saúde humana, o pó vai a um forno com temperatura superior a 1.000º. Dele, sai um novo pó, encaminhado a um novo processo de moagem.

Do resultado, sobram óxidos metálicos e sais. Tais resíduos acabam por ser utilizados como pigmentação a tintas, cerâmicas e fogos de artifício.

 

Agora que você já sabe tudo sobre como fazer corretamente o descarte de pilhas e baterias, quem sabe não passa a informação adiante? No melhor estilo sustentabilidade colaborativa, a informação é o bem mais precioso que existe.

Leia mais: Conheça o Tesla, o carro mais sustentável do mundo

Por isso, preparamos diariamente materiais sobre tecnologia, planos e pacotes, dicas e curiosidades. Se você gostou do nosso material, acompanhe o Compara Plano. Estamos muito satisfeitos em te ver por aqui!

Artigo Original

Deixe uma resposta