Menu fechado

Como fazer (e não fazer) networking?

Como fazer (e não fazer) networking?

Você sabe como se conectar com outros empreendedores apresentando o seu trabalho? Confira 7 dicas para fazer isso (e não cometer erros graves no caminho!).

“Cresça e apareça”. Embora seja mais usado em tom de brincadeira, o velho clichê faz sentido. Quem cresce acaba aparecendo mesmo. Mas o inverso é verdade também: quem aparece também acaba crescendo. Para isso, você só precisa saber como e para quem deve aparecer. Em termos mais técnicos: você precisa saber fazer um bom networking. E é para isso que estamos aqui! Então vamos lá.

Networking significa cultivar uma rede de contatos profissionais com o objetivo de desenvolver uma carreira ou desenvolver novos negócios.

Um networking bem feito gera relacionamentos ativos que sempre resultam em boas trocas (de experiência, oportunidade e parcerias). Ele já existia antes dos computadores, mas ganhou uma nova dimensão com a internet, especialmente com o Facebook e o Instagram.

Essa evolução do networking trouxe muitas facilidades e ampliou o poder desse tipo de relacionamento. Mas, para aproveitar os benefícios, é necessário não apenas saber usar as ferramentas, mas também combinar esse uso com o bom e velho cara a cara. Como, então, você pode fazer boas conexões na internet e no mundo offline e conquistar seus objetivos profissionais? É o que vamos responder nas dicas abaixo. E não se preocupe, que também vamos listar o que você não deve fazer. 😉

 

1. Trace sua estratégia
Reflita: o que você deseja obter com os contatos que vai estabelecer? Você quer um novo trabalho, fazer parcerias de negócios, turbinar as vendas, ganhar mais reconhecimento no mercado ou “apenas” cultivar contatos melhores para a sua empresa? Defina seus objetivos profissionais e você verá que fica mais fácil definir a sua estratégia de networking. Afinal, por que esperar a oportunidade bater à sua porta se você já pode se apresentar (ou, melhor ainda, ser apresentado) ainda hoje pelo Facebook, Instagram ou LinkedIn?

O que fazer: Crie uma lista das pessoas e empresas com quem você deveria desenvolver um relacionamento e busque a melhor aproximação. Tenha uma resposta boa, segura e adaptável para a pergunta “o que você está fazendo profissionalmente?”. Ela sempre vem a calhar.

O que não fazer: Tentar começar um relacionamento como se já fosse íntimo da pessoa. Isso não funciona para amizade ou namoro e também não vai funcionar para o relacionamento profissional. Também evite perder tempo com as pessoas e empresas erradas. A qualidade do networking é muito mais importante do que a quantidade de contatos.

2. Comece pelos contatos mais próximos
Não é raro ver profissionais dispararem e-mails para CEOs de grandes empresas na esperança de que seus talentos sejam repentinamente descobertos e reconhecidos. Isso até pode funcionar, mas é bem provável que você tenha mais sucesso fazendo o caminho natural, que é começar por quem está mais próximo. Afinal, coloque-se na pele daquele CEO e pense: você daria mais atenção a (mais) um e-mail de desconhecido na sua caixa de entrada ou à indicação vinda de um colega? Pois é.

Sua melhor opção então é começar o networking com os próprios familiares, amigos e colegas próximos, mesmo que não sejam da sua área. Além de conhecerem bem você, eles tendem a conhecer pessoas que são (da sua área). A partir desses primeiros contatos, você começará a expandir sua rede.

Para contatar aquelas pessoas da lista estratégica, confira se vocês têm algum conhecido em comum que possa te indicar. Muitas vezes, essa pessoa também poderá te passar algumas dicas úteis sobre como fazer um contato melhor com a pessoa com quem você quer se conectar em cada ocasião.

O que fazer: Converse sobre negócios com pessoas próximas antes de partir para os próximos círculos. Fale com segurança e entusiasmo sobre seus planos e peça opiniões. Também é mais fácil retomar contato com alguém do passado do que iniciar um relacionamento novo, então esse pode ser um passo intermediário: aqui entram ex-chefes, colegas da faculdade, ex-vizinhos e antigos amigos em geral. Use os contextos que vocês já têm em comum para se reconectar.

O que não fazer: Forçar a barra. Paciência e perseverança são necessários, mas é essencial ter bom senso para não ser visto como irritante e repelir quem você quer atrair. Também evite já chegar pedindo um favor. Se esse for o caso, não precisa rodear demais, mas pelo menos quebre o gelo antes. Lembre-se: para que o networking funcione, é necessário que haja interesse mútuo, como em qualquer outro tipo de relacionamento.

3. Reserve um tempo para criar conexões
Para o networking dar certo, ele precisa ser uma prioridade durante algumas das suas horas de trabalho. Mantenha-se bem informado sobre as oportunidades da sua rede, vendo o que estão falando nos Grupos de Facebook e de WhatsApp, quais são os eventos que vão acontecer em breve, assuntos muito comentados e assim por diante. Curta e comente as postagens da sua rede para criar mais vínculos e saber quais assuntos são relevantes para seus contatos. Se você tiver tempo, vale participar de associações e oferecer aulas ou palestras na sua área, desde que o tempo investido traga resultados alinhados aos seus objetivos.

O que fazer: Separe algumas horas para estudar as suas conexões, planejar contatos, pedir ou fazer apresentações, manter suas plataformas sociais ativas e suas informações profissionais atualizadas nos seus perfis, até mesmo produzindo conteúdo sobre a sua área, reforçando sua expertise. Assim você será lembrado quando surgirem oportunidades. Outra maneira eficiente de ser lembrado é manter contato pelo WhatsApp ou Messenger e enviar mimos, que podem ser desde um link interessante para aquela pessoa até um chocolate ou uma cartinha em ocasiões importantes.

O que não fazer: Falar demais ou nos lugares errados. Toda oportunidade de reforçar seu networking é bem-vinda, desde que seja feita da maneira apropriada, em local e momento adequados. Outra coisa que você deve evitar é aparecer apenas quando precisa de alguma coisa. Se você mantiver ativos os contatos e mostrar a eles sua utilidade (inclusive fazendo favores), certamente colherá os frutos desse relacionamento orgânico no futuro.

4. Leve para o pessoal (no bom sentido, é claro)
Além de fazer contatos via internet, é importante reforçar essas conexões pessoalmente. Aceite e faça convites, vá a eventos das suas áreas de interesse ou a eventos que cobrem várias áreas, como o Impulsione com o Facebook (que tem até um Grupo próprio para facilitar o networking!). Em congressos e eventos, chegue mais cedo para se ambientar, pegar informações com recepcionistas e já fazer os primeiros contatos. Se possível, já tenha em mente quem você quer conhecer no evento. E procure se movimentar, em vez de se restringir a um canto só. Também vale ficar um tempo extra ao final, que é quando todos estão mais aptos a conversar. Após conhecer pessoalmente um bom contato, ative essa conexão na rede social apropriada e aproveite para avançar no relacionamento – demorar para fazer isso pode colocar aquela conexão a perder.
Se você quer algo, é importante dizer isso às pessoas que podem te ajudar a chegar ao seu objetivo.

O que fazer: Leve seus cartões de visita! Confesse: você já precisou de um algumas vezes e se arrependeu de não ter. Ele ainda é útil e muito prático, porque reúne todos os seus contatos num pedaço físico de papel que, de quebra, ainda carrega o visual da sua marca. Claro que você não pode depender apenas do cartão, mas se ele for criativo, vai reforçar sua imagem para a pessoa e contar mais pontos.

O que não fazer: Tocar em assuntos polêmicos quando estiver iniciando um relacionamento. Você ainda não conhece a pessoa o suficiente para abordar temas delicados. Por isso, mesmo que perceba uma oportunidade, é melhor guardar para depois. Ainda não é o momento. Quando você conhecer melhor a pessoa vai poder avançar (com cuidado e respeito) por essas áreas também, e até se beneficiar das convergências de ideias.

 

5. Mostre como você pode ser útil
Como já dissemos, todo relacionamento é baseado em interesse mútuo. O que é esperado de você é o mesmo que você espera dos outros: que contribuam de alguma forma para os negócios. Por isso, mostre com naturalidade e honestidade por que você é interessante. Isso é especialmente válido na hora de iniciar um novo relacionamento: a conversa tem que ser atraente. Mostre interesse pela vida profissional do seu contato também, fazendo perguntas genuínas e relevantes, para obter respostas igualmente válidas que podem te ajudar a compreender a realidade do outro empreendedor e, assim, deixar mais claro como vocês podem trabalhar juntos.

O que fazer: Troque ideias, dê dicas, mostre como você pode ajudar. Ouça seu interlocutor, entenda com quem você está falando e faça um esforço para que a conversa tenha sentido para ele. Outra estratégia aqui é ter companheiros de networking – ou seja, pessoas que possam somar à sua estratégia e falar bem de você quando for pertinente, até mesmo ao seu lado, reforçando suas competências caso você precise de ajuda para divulgar seu trabalho.

O que não fazer: Criar uma imagem falsa ou forçada. Se suas investidas não renderam apesar de alguma insistência, reconheça que você ainda não é interessante para esse contato e vá para o próximo. Também evite falar mal de outros profissionais, mesmo que sejam concorrentes. Se outros empreendedores fizerem isso, mantenha a diplomacia e não alimente o assunto.

6. Faça parcerias
Isso é especialmente útil quando se combinam empresas de serviços com empresas de produtos, mas também é perfeitamente possível dar as mãos com empresas e profissionais do mesmo setor ou até mesmo concorrentes! O importante é que a parceria beneficie ambos os negócios, especialmente quando “o resultado é maior que a soma das partes.” Uma parceria ainda é um networking, mas já é, também, o resultado dele. Afinal, também é um negócio fechado!

Para você se inspirar, aproveite e dê uma olhada no Conexões RS, um grupo de empreendedores do Rio Grande do Sul que começou no Facebook e se transformou numa rede de apoiadores.

O que fazer: Percebeu uma sinergia entre seu negócio e algum contato? Será que seus produtos e serviços renderiam ótimos combos? É hora de avaliar se vale uma parceria. Pense como isso seria benéfico para as duas partes e faça a proposta ao seu contato. Na hora de divulgar, que tal fazer uma Live no Facebook ou no Instagram?

O que não fazer: Buscar parcerias que beneficiem apenas a sua empresa. Você não pode oferecer uma colaboração que vai tomar tempo e energia do seu contato e não vai render nada em troca para ele. Além de prejudicar a pessoa que você também deveria ajudar, você ainda corre o risco de manchar sua reputação.

7. Tímidos também fazem networking
É verdade que pessoas extrovertidas têm mais facilidade de fazer networking. Mas isso não significa que os tímidos e introvertidos em geral não tenham chances. Se esse é o seu caso, você tende a se beneficiar ainda mais das dicas que demos aqui porque já sabe que a qualidade vale mais que a quantidade. Então, selecione bem cada conexão para evitar desgastes. Para você, os intermediários são ainda mais úteis que para os extrovertidos, pois eles vão ajudar muito a quebrar o gelo dos primeiros contatos.

Mesmo assim, não deixe de fazer um esforço para se acostumar aos eventos presenciais. Será ainda mais valioso chegar mais cedo a esses encontros, pois haverá menos pessoas, o que permite criar as primeiras conexões com mais tranquilidade.

O que fazer: Saiba de antemão o que você pretende com cada conexão e quais deveriam ser as melhores abordagens e os melhores pontos a serem conversados. Assim você evita a pressão do improviso.

O que não fazer: Fingir que é extrovertido. Você precisa superar a timidez para puxar uma conversa, mas não precisa deixar de ser você, ou corre o risco de travar na hora H. Aja naturalmente e mostre suas qualidades. A introversão também pode estar entre elas!

 

Consultoria: Bruno Rodrigues Faria, mestre em administração pela UFMG e analista técnico do Sebrae-MG.

O post original desta publicação está aqui. O Facebook Para Empresas quer orientar e empoderar micro, pequenos e médios empreendedores no Brasil. Você pode conhecer mais acessando facebook.com/business, a Página Facebook Para Empresas ou o brand channel do Facebook no site do Draft.

89 Total Views 49 Views Today

Artigo Original

Deixe uma resposta