Menu fechado

Cirurgia bariátrica: como fazer pelo SUS?

Cirurgia bariátrica: como fazer pelo SUS?
Foto: Divulgação / Pexel
Índices de obesidade tiveram um crescimento no último ano, principalmente entre adultos de 25 a 44 anos. 

A cirurgia bariátrica é reconhecida como um dos tratamentos do nível mais grave de obesidade (grau 3). Nesse estágio, ela já é classificada como mórbida, ou seja, representa uma enfermidade. Muitas pessoas recorrem ao procedimento quando não conseguem alcançar um peso saudável por outros meios, como a reeducação alimentar e a prática de atividade física.

Os índices de obesidade tiveram um crescimento no último ano, principalmente entre adultos de 25 a 44 anos. O aumento foi de 67,8%, saindo de 11,8% em 2006 para 19,8% em 2018, segundo a pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2018, do Ministério da Saúde.

Com os números em alta e todos os perigos à saúde que envolvem a obesidade, é possível perceber uma movimentação das pessoas contra o excesso de peso. O Vigitel de 2017, por exemplo, também demonstrou uma melhora nos hábitos dos brasileiros. Mas apesar disso, a cirurgia bariátrica surge no imaginário das pessoas como uma saída aparentemente definitiva.

Bariátrica pelo SUS

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) orienta que os pacientes interessados podem recorrer ao Sistema Único de Saúde (SUS), desde que tenham esgotado todas as possibilidades de tratamento clínico para a doença. Até maio de 2019, foram realizadas pelo SUS 5.073 cirurgias bariátricas no Brasil. Assim como qualquer outro, esse procedimento apresenta riscos.

Requisitos para paciente legível 

Além disso, é preciso cumprir os requisitos impostos pelo Ministério da Saúde, que incluem: idade mínima de 16 anos; IMC maior ou igual a 40; ou IMC maior que 35 associado a comorbidades, que são doenças diretamente ligadas a obesidade, como diabetes e hipertensão. Os pacientes também precisam passar pela avaliação de uma equipe multidisciplinar, que inclui acompanhamento médico, nutricional e psicológico.

O cirurgião especialista em bariátrica do Hospital Santa Marcelina, de São Paulo, Dr. Gustavo Fernandes, lembra ainda que o procedimento tem como contraindicações a falta de condições clínicas por parte do paciente e o uso abusivo de álcool ou drogas ilícitas nos seis meses antecedentes, além de doenças psiquiátricas não controladas.

Exercícios físicos x bariátrica 

O educador físico e especialista esportivo Leandro Gomes, comenta que os exercícios físicos são importantes, mas exigem ainda mais cautela quando realizados no pós-operatório. “Com o aumento da cirurgia bariátrica devemos ter algumas precauções com o paciente antes de iniciar a prática de atividades físicas”.

1- Com o aumento da mobilidade (e da amplitude dos movimentos) durante as primeiras semanas pós cirurgia, a pessoa deve aumentar as atividades físicas cotidianas (andar no bairro, subir as escadas ao invés do elevador, alguns serviços domésticos) para contribuir com o gasto calórico, mesmo sendo de baixa intensidade e pouco tempo vai auxiliar no emagrecimento;

2- O exercício físico deve fazer parte do cotidiano dos bariátricos, virando uma rotina para as pessoas. “Mas lembre-se, sempre com auxílio do profissional de educação física”, alertou.

3- Os tipos de exercícios recomendados para quem fez cirurgia bariátrica (exercícios aeróbicos, de força muscular e flexibilidade) devem ser prescritos de acordo com o período pós cirúrgico;

4- Em relação aos exercícios aeróbicos (caminhadas e corridas principalmente) devem ser feitos moderadamente. “Caso o bariátrico tenha pouco tempo de operação , comece apenas com caminhadas e após um período já na musculação aí comece a treinar a corrida”, sugeriu Leandro.

5- Algumas aulas que são oferecidas nas academias como Spinning e Jump devem ser evitadas no início, a primeira devido a sua intensidade e a segunda devido aos impactos nas articulações.

6- A musculação é a modalidade que o bariátrico deve fazer devido aos benefícios que ela proporciona em relação aos outros, no caso a hipertrofia muscular, que ajuda a ganhar resistência e massa magra.

7- Na musculação , o bariátrico que tem poucos meses deve evitar de qualquer maneira exercícios abdominais e exercícios que podem provocar uma compressão abdominal, um exemplo é o leg press.

8- “Respeite seus limites individuais, a melhora da sua saúde e rendimento são gradativas, não se compare aos outros”, alertou o especialista.

9- Busque sempre orientações profissionais. 

* Com informações do Blog de Saúde do Ministério da Saúde 

Artigo Original

Deixe uma resposta