Menu fechado

Chega de nariz entupido! Saiba como fazer lavagem nasal

Chega de nariz entupido! Saiba como fazer lavagem nasal

O acúmulo de secreção nas cavidades do nariz, além de inconveniente, pode ser perigoso para a sua saúde.

Por Nathalia Giannetti

access_time

15 jul 2019, 11h56 – Publicado em 15 jul 2019, 11h55

Você já deve ter reparado como é difícil passar o inverno sem ficar resfriado. Isso acontece pois nessa época do ano os vírus estão mais ativos e a gente fica em locais fechadinhos. Então é bem provável que você fique com o nariz entupido pelo menos uma vez durante os meses de frio. 

Mas algo que parece tão inofensivo pode ser bastante perigoso para a sua saúde. “O acúmulo de secreções nas cavidades nasais facilita a proliferação de vírus e bactérias, aumentando a chance de infecções“, explica o Dr. Márcio Freitas, médico membro da Academia Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervico-Facial.

E evitar isso é bem simples: basta fazer com frequência a lavagem nasal, processo bastante usado com crianças pequenas e bebês, mas que pode te salvar de um grande problema no futuro.

O que é a lavagem nasal?

É apenas uma higienização realizada com soro fisiológico que, ao ser inserido nas cavidades do nariz, “remove a secreção acumulada, melhorando a respiração e a coriza”, conta Julia Stapenow Jorge, otorrinolaringologista da Cia da Consulta. 

A ideia é que o soro entre por uma narina e saia pela outra, mesmo. Assim, ele percorre o canal que liga as narinas e limpa tudinho, removendo as secreções, os micro-organismos e a sujeira.

Como fazer

Em primeiro lugar, você deve procurar o instrumento adequado para realizar a lavagem. Os mais eficientes são os higienizadores nasais, fabricados especialmente para essa função (veja estes modelos: Narin, Jala-Neti e Nasivent). Caso você não consiga encontrá-los ou comprá-los, as seringas (sem agulha) também são uma boa opção. “O ideal é usar a seringa que não tem bico, e sim a de rosca, pois ela não machuca o nariz”, aconselha o dr. Cícero Matsuyama, otorrinolaringologista do Hospital CEMA.

Para a limpeza, dê sempre preferência ao soro fisiológico, encontrado em qualquer farmácia, como solução higienizadora. Como alternativa, pode ser utilizada o soro caseiro. O Dr. Cícero recomenda a seguinte receita:

    • 1 litro de água filtrada
    • 1 colher de sopa de sal grosso
    • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio

    Mas tome bastante cuidado! “Se a solução caseira não tiver a concentração correlata de sais, ela faz parar o movimento dos cílios nasais e vai atrapalhar ao invés de ajudar”, alerta o Dr. Márcio Freitas.

    Na hora de aplicar a solução, em casos de adultos, cada narina deve receber entre 10 e 20 ml de soro – quanto maior o congestionamento maior será quantidade. Flexione a cabeça para frente e a incline ligeiramente para um dos lados, de maneira que o jato será inserido pela narina oposta e sairá por aquela da inclinação.

    Para crianças, o ideal é aplicar 5 ml em cada narina.

    Frequência

    O número diário de lavagens nasais varia de acordo com a necessidade, mas o mínimo é de duas vezes ao dia. “Em pacientes com resfriado, gripe, rinite alérgica ou sinusite, recomendo que essa frequência seja maior, pelo menos 4 vezes diárias“, diz a Dra. Julia Stapenow Jorge. 

    É também essencial que uma das limpezas aconteça logo cedo, depois de acordar, e outra, um pouco antes de dormir.

    Manter essa periodicidade é essencial para aliviar o problema e reduzir os riscos de inflamação, uma vez que, como afirma o otorrinolaringologista, “isso faz com que a secreção fique acumulada por menos tempo, permitindo uma recuperação mais rápida”. 

    Artigo Original

    Deixe uma resposta