Menu fechado

Black Friday: como fazer compras pela internet de forma mais segura – Diário Online

Black Friday: como fazer compras pela internet de forma mais segura - Diário Online

O comércio se prepara para realizar mais uma edição da Black Friday nesta sexta-feira (29). Tradicional nos Estados Unidos, a data foi incorporada no Brasil como um dia de ofertas em diversos segmentos. Para este ano, estima-se um crescimento em torno de 21% nas vendas em relação a 2018. Além das presenciais, o evento já está movimentando o e-commerce, ou seja, as vendas on-line.

A praticidade de fazer uma compra sem precisar ir a uma loja física e as inúmeras opções que o mundo virtual oferece atrai cada vez mais adeptos dessa modalidade de vendas de produtos e serviços. Embora a internet abrigue muitas empresas confiáveis, os órgãos de defesa do consumidor fazem recomendações para que esse público não caia em um golpe.

Vice-presidente da Comissão de Defesa do Direito do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PA), Carlos Eduardo Patriarca diz ser notório o espaço que a Black Friday vem ganhando no comércio do Brasil. Porém, os consumidores precisam ter precaução e adotar algumas medidas de segurança para efetuar bons negócios. “Na visão empresarial é ótimo. E a crise que o país vem atravessando nos últimos anos acaba sendo um pouco amenizada. Mas tem um lado negativo: atos maliciosos que acabam afetando os consumidores”, disse.

CUIDADOS

Na avaliação do especialista, o primeiro passo para não sofrer um golpe é o consumidor não se deixar influenciar pelas campanhas massivas de marketing de consumo. Deve analisar o que realmente tem necessidade de comprar no momento. Já o passo seguinte é antecipar a pesquisa de preços daquele produto que pretende adquirir.

“O consumidor nunca deve comprar por impulso. Tem de primeiro verificar o que de fato precisa e aproveitar uma super promoção para se beneficiar. Mas, antes disso, tem de fazer uma análise continuada dos preços, porque acontece de empresas aumentarem o valor do produto, depois volta ao preço normal afirmando que é um desconto”, observou, acrescentando que a Comissão da OAB recebe denúncias dos consumidores sobre situações como essa (confira ao lado orientações para fazer uma compra segura).


 

Artigo Original

Deixe uma resposta